Anvisa orienta abrigos sem teto sobre prevenção a pandemia

Anvisa orienta abrigos sem teto sobre prevenção a pandemia
Publicidade :)

A Anvisa tem dado orientações aos abrigos destinados aos sem tetos para a prevenção e o controle do novo coronavírus (covid-19). Agentes de saúde tem visitado instituições de acolhimento à sem tetos para dar as devidas orientações. Mas

Absurdo!! Idosa foi asfixiada pela filha no hospital e morre no Maranhão

Foi divulgada uma nota técnica pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), nesta última segunda-feira (13). O material informa, também, sobre sinais e sintomas da doença, formas de transmissão e medidas de proteção.

Publicidade :)

A nota da Anvisa destaca a importância de cuidados gerais com as pessoas que são acolhidas nas instituições, casos suspeitos e confirmados da doença e orientações para os trabalhadores e visitantes. “É importante ressaltar que a população acolhida nessas instituições vive em situação de vulnerabilidade devido a diversos fatores sociais, econômicos e etários”, diz o documento.

Anvisa orienta abrigos sem teto sobre prevenção a pandemia

A Anvisa recomenda que os locais devem contar com profissionais que ajudem os acolhidos que não conseguem higienizar as mãos. “Os abrigos para crianças devem manter cuidados para evitar acidentes com relação às preparações alcoólicas, como ingestão ou queimaduras. Conforme orientações do Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda), nesse caso deve-se dar prioridade à estratégia da lavagem das mãos”.

A instituições devem realizar o monitoramento de casos suspeitos e dar o devido acolhimento conforme a recomendado pela Agencia de saúde.

“Todos devem ser orientados sobre os cuidados ao tossir e espirrar, como cobrir o nariz e a boca com o cotovelo flexionado ou com lenço de papel descartável. Após o uso, os lenços devem ser adequadamente descartados em lixeiras com pedal e as mãos devem ser lavadas”.

De acordo com a agência, no interior dos abrigos, o tempo de circulação em áreas comuns deve ser reduzido e os abrigados têm que manter a distância mínima de 1 metro entre eles. Essa distância vale também para locais de refeição e espaço entre as camas nos dormitórios.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *