Durante live Bolsonaro diz que a esquerda é contra a educação

Durante live nesta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro questinou a demora a volta às aulas. O presidente disse qiue é inadimissível perder o ano letivo de 2020. O presidente afirmou que só falta os brasileiros retomartem as atividades normais.

A declaração do presidente foi feita nesta quinta-feira dia 17, e foi transmitida nas redes sociais. O presidente criticou duramente os sindicatos dos professores. De acordo com o presidente, os professores ligados ao sindicato são os mais interessados em que as aulas não retornem.

Jovem acusada na internet de fraudar cota racial em concurso da PF

Auxílio Emergencial: governo publica decreto que regulamenta parcelas

Google muda definição de “patroa” após reclamação de Anitta

Durante live Bolsonaro diz que a esquerda é contra a educação

O presidente afirmou que professores ligados ao sindicato são pessoas da extrema-esquerda radical, e que eles não tem interesse no bem estar dos alunos. Bolsonaro afirmou que membros da extrema-esquerda são contra a educação.

Bolsonaro disse que governadores e prefeitos tem a responabilidade na tomada da desição no que diz respeito a volta das aulas. Mas que vai procurar dialogar para a retomada.

Só está faltando nós”, disse ele, em linha com o que disse na véspera durante a solenidade de efetivação do ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello. Contudo, Bolsonaro ressalvou que a decisão de se reabrir estabelecimentos de ensino não é do governo federal, mas de Estados e municípios.

De acordo com o Governo Federal, a demora vai ser muito prejudicial para os alunos, em especial nas faculdades. Mas para especialistas em saúde, ainda não é o momento de colocar crianças e jovens dentro das escolas. Segundo os especilistas, isso poderia agravar o problema da pandemia, ainda mais neste momento que a doença regride progressivamente.

Bolsonaro afirmou que é fundamental o retorno das aulas para que alunos recuperem o tempo perdido neste ano de 2020. Muitos pais se manifestaram nas redes socias alegando que não vão mandar seus filhos às escolas.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *