Erro em hospital faz família enterrar corpo errado com caixão lacrado

Erro em hospital faz família enterrar corpo errado com caixão lacrado
Publicidade :)

Erro em hospital faz família enterrar corpo errado com caixão lacrado

Família enterra corpo trocado com suspeita de coronavírus. O caixão estava lacrado. Um hospital em Santo André (SP) trocou o corpo de uma idosa pelo de um homem com suspeita de contaminação pelo.

Corpo de Dona Amir foi trocado pelo de Francisco, que morreu com suspeita de Covid-19.

Publicidade :)

O erro fez com que a família de Dona Amir Martins da Silva, de 92 anos, fizesse o enterro do corpo errado e com caixão lacrado, já que o hospital disse que ela tinha morrido com coronavírus. As informações são do jornal Bom Dia SP, da TV Globo.

Um hospital em Santo André (SP) trocou o corpo de uma idosa pelo de um homem com suspeita de contaminação pelo .

Assim o erro fez com que a família de Dona Amir Martins da Silva, de 92 anos, fizesse o enterro do corpo errado e com caixão lacrado, já que o hospital disse que ela tinha morrido com coronavírus. As informações são do jornal Bom Dia SP, da TV Globo.

Erro em hospital faz família enterrar corpo errado com caixão lacrado

Mas Nelson Gil da Silva, filho de Amir, conta que após receber a notícia da morte da mãe, foi até o hospital onde o necrotério informou que somente a funerária poderia entrar para a retirada do corpo. O protocolo de Covid-19 foi aplicado e o corpo saiu do hospital já em um caixão lacrado.

Após a cerimônia de sepultamento, que não teve velório, o hospital ligou para os familiares e informou que havia trocado os corpos. “Lá no hospital eles falam que a culpa não foi deles, que estava tudo devidamente etiquetado.

Pois eles falaram que era pra ter uma no peito, nos pés e do lado de fora do saco plástico, essa do lado de fora do saco não tinha, ela não foi colocada. Eu estive lá e eu vi, a do peito da minha mãe, eu vi a identificação”, afirmou Nelson ao Bom Dia SP.

Mas erro só foi descoberto quando a família de Francisco Carlos da Silva, de 54 anos, foi liberar o corpo e notou que se tratava de uma mulher.

As duas famílias registraram um boletim de ocorrência contra o hospital. A delegada exigiu a exumação do corpo de Francisco. O corpo da Dona Amir seria enterrado na manhã desta quinta-feira (9).

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *