Maria do Rosário vai ao MPF contra suspensão de contratos com creches em Porto Alegre

Maria do Rosário vai ao MPF contra suspensão de contratos com creches em Porto Alegre
Publicidade :)

A deputada Maria do Rosário do PT do Rio Grande do Sul deu no Ministério Público Federal contra a Prefeitura de Porto Alegre. O motivo é a decisão da prefeitura da capital gaúcha que suspende contratos com as 249 creches conveniadas a cidade de Porto Alegre.

Devido a suspensão houve um protesto de funcionários das escolas de educação infantil que foram afetadas nesta quinta-feira (16). O pedido da deputada Maria do Rosário é para que o MPF tome as medidas que assegurem a manutenção e funcionamento destas escolas, uma vez que parte da verba que é repassada para as escolas tem origem no governo federal e a prefeitura continua recebendo.

Câmara aprova ampliar a outras categorias auxílio emergencial

Publicidade :)

Deputada Maria do Rosário cobra medidas de proteção à creches

De acordo com a deputada é importante assegurar tanto o emprego dos funcionários atendidos como o serviço prestado as comunidades em que as escolas prestam o serviço.

“É importante destacar que parte do valor que é repassado para as escolas conveniadas é de recurso do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB, Lei 11.494, de 2007), recurso este cujo repasse está mantido pelo Governo Federal. Esse fato por si torna arbitrária a decisão da Prefeitura de Porto Alegre de suspender os termos de parceria.”- disse a deputada em entrevista a um jornal da capital.

Conforme o defendido pela deputada, mesmo que as aulas estejam suspensas interromper os repasses coloca em risco a manutenção das escolas.

“A interrupção dos termos de parceria ou colaboração desestrutura o sistema de ensino, pois as escolas perderão sua capacidade de funcionamento. Os repasses são utilizados não apenas para o pagamento de salários. Mas também para honrar os compromissos relativos a gastos correntes tais como água, luz, materiais de limpeza e em determinados casos, com o aluguel.

Maria do Rosário responsabilizou a prefeitura da cidade chamando o prefeito da cidade de irresponsável.

 

Entenda o caso

Na última quarta-feira (15), a Prefeitura de Porto Alegre suspendeu contratos com creches conveniadas a prefeitura, desta forma o repasse de verbas também foi suspenso. No entanto boa parte das verbas são federais, e são usadas para o pagamento de contas como, luz, água e aluguel. O documento foi assinado pelo secretário municipal da Educação, Adriano Naves de Brito, é retroativo à 1o de abril.

De acordo com a prefeitura de Porto alegre, a lei não permite que a “Administração Pública mantenha pagamentos ou transferência de recursos para entidades parcerias sem a completa execução prevista em plano de trabalho”. O documento ainda usa como justificativa pela suspensão os efeitos causados pela pandemia.

A prefeitura de Porto Alegre conta com 207 creches conveniadas ao município. Mas no entanto as aulas nestas instituições estão suspensas desde 20 de março, em razão da pandemia de coronavírus.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *