Novas favelas nascem por causa da pandemia.

Novas favelas nascem por causa da pandemia.

Uma comunidade no bairro Jardim Julieta em São paulo tem se formado a mais ou menos quatro meses. Um grupo de novos sem-teto chegou no ali e aos poucos tem transformado o local em uma favela. Tudo isso tem ocorrido por causa da pandemia, pois o Brasil é o segundo país mais afetado pela Covid-19.

Tómas da Silva perdeu o emprego por causa da paralisação das atividades. Ele e a mulher Priscila tiveram que tomar uma decisão muito difícil, escolher pagar o aluguel ou alimentar os seus filhos. Eles então se mudaram para uma nova favela e passaram a morar em um barraco construído por eles.

“Devido à pandemia, meu marido, que é o único que trabalha, foi mandado embora. A gente não tem como pagar o aluguel porque tem seis filhos também… Ficou difícil e aí a gente veio pra cá”

A cada dia mais famílias estão passando por essa dura realidade. Agora, cerca de 700 famílias vivem ali, sem as condições devidas de higiene, a maioria das casas são feitas de lonas e telhados arranjados.

Novas favelas nascem por causa da pandemia.

Ao longo do tempo, epidemias e pestes de fato têm levado os brasileiros mais necessitados a residirem em favelas e outros assentamentos informais, é que declara  o arquiteto Lino Teixeira, coordenador de políticas urbanas do Observatório das Favelas, um grupo de pesquisas e defesa da moradia na região metropolitana de São Paulo.

“Historicamente, as pandemias estão ligadas à formação das favelas e à formação de políticas de remoção. No Rio de Janeiro, a própria formação da favela está ligada a um conjunto de epidemias urbanas, desde a febre amarela até a gripe espanhola, a varíola, depois o sarampo”, rela

“O que a gente tem visto é um ciclo vicioso. O agravamento da crise econômica, que já vinha acontecendo, se agrava agora com a pandemia. Aí a pessoa não consegue arcar com os custos do aluguel, acaba sendo despejada, e acaba ocupando algum espaço, que provavelmente é ambientalmente frágil, e logo em seguida vem a remoção”, explica Talita Gonzales, pesquisadora do Observatório de Remoções.

Veja também: Babu Santa fala sobre motivos de sair da favela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *