Verdade sobre a morte de Ricardo Boechat é finalmente revelada

A verdade sobre a morte do jornalista Ricardo Boechat é finalmente revelada. O Brasil ficou chocado no dia 11 de Fevereiro de 2019 quando soube do acidente que tirou a vida de um dos jornalistas mais talentosos de nosso país.

Ricardo Boechat voltava de Campinas após realizar uma palestra quando a aéronave que ele estava sofreu uma queda em meio uma rodovia. No acidente morrou o jornalista e o piloto de helicópitero.

O piloto ainda havia tentado realizar um pouso de emergência no Rodoanel que dá acesso à rodovia Anhanguera. Porém a aeronave se chocou com um caminhão que e pegou fogo.

Boechat e o piloto, Ronaldo Quattrucci, 56, que era dono da empresa de taxi aéreo morreram no local, o motorista do caminhão envolvido no acidente sofreu apenas ferimentos leves.

Adolescente mata a própria avó por causa de R$ 30 mil

Morre bebê de 1 ano que ficou em coma por 17 dias após se engasgar com uva

Supermercado obriga casal negro a esvaziar bolsa para revista e encontra somente Bíblia

Verdade sobre a morte de Ricardo Boechat é finalmente revelada

Após 1 ano e meio do acidente a laudo finalmente revelou o que aconteceu de errado naquele dia. Na verdade não se trata apenas de um erro, mas sim uma soma de erros que resultou na perda de vida de duas pessoas.

De acordo com a FAB, não apenas a atitude do piloto mas também a falta de manutenção e uma série de problemas técnicos foram o que causou o acidente. A FAB disse em seu documento que :

No momento do acidente, o compressor estava com peças vencidas. O tubo de distribuição de óleo da aeronave também “estava com o calendário de troca excedido várias vezes“. Havia ainda um desgaste anormal de outras peças –o que, aponta o relatório, levou à sobrecarga da aeronave e ao rompimento do eixo de ligação do rotor da cauda no momento da queda.

A FAB resposabilizou o piloto por não ter verificado equipamentos que estavão apresentado falhas e cusaram uma sobrecarga na aéronave. “Houve ineficiência, por parte do operador (o piloto), quanto à organização de manutenção, no acompanhamento e na execução dos processos de manutenção” do helicóptero.

MAs no entanto fica uma pergunta no ar, como que são realizadas as fiscalizações destes tipos de equipamentos, eles não deviram passar por uma inspeção anual ou algo do tipo? Bem sabemos que uma pessoa morta não pode se defender!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *