WEINTRAUB ataca STF “Por mim botava fogo nesses va***undos

Ministro da Educação, Abraham Weintraub, esqueceu sua educação em casa e chamou os ministros do Supremo Tribunal Federal de “vaga***dos” na reunião ministerial de 22 de abril. Mas além de ofender verbalmente os ministros do supremo, Weintraub e disse que queria prendê-los. “Eu, por mim, botava esses vaga***dos todos na cadeia, começando no STF”, disse ele. Conforme o ministro, o governo está perdendo a luta pela liberdade.

UFRJ ESTIMA PICO DE PANDEMIA NO RIO NO INÍCIO DE JUNHO E ACONSELHA BLOQUEIO TOTAL

Governo libera R$ 2.090 de PIS/Pasep, confira quem pode sacar

Sertanejo Felipe Araújo revela experiência espiritual com o irmão falecido, Cristiano Araújo

A gente tá perdendo a luta pela liberdade. É isso que o povo tá gritando. Não tá gritando pra ter mais Estado, pra ter mais projetos, pra ter mais… o povo tá gritando por liberdade, ponto. Eu acho que é isso que a gente tá perdendo, tá perdendo mesmo. A ge… o povo tá querendo ver o que me trouxe até aqui. Eu, por mim, botava esses vagabundos todos na cadeia. Começando no STF”, disse ele, como mostra a gravação da reunião, cujo sigilo foi suspenso nesta sexta-feira (22) por Celso de Mello, um dos ministros do Supremo.

WEINTRAUB ataca STF por mim botava fogo nesses v****dos

De acordo com o ministro Celso de Mello, o vídeo apresenta ocorrências graves que devem ser apuradas. Celso de Mello determinou que todos os ministros da Corte sejam oficiados para que, caso queiram, adotem as medidas cabíveis. “Conforme constatei, casualmente, a ocorrência de aparente prática criminosa, que teria sido cometida pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub.  No curso da reunião ministerial realizada em 22/04/2020, no Palácio do Planalto, assim se pronunciou em relação aos Ministros do Supremo Tribunal Federal.”

Mas ainda na sequência o ministro da educação disse a seguinte frase:

Odeio o termo ‘povos indígenas’, odeio esse termo. Odeio. O ‘povo cigano’. Só tem um povo nesse país. Quer, quer. Não quer, sai de ré. É povo brasileiro, só tem um povo. Pode ser preto, pode ser branco, pode ser japonês, pode ser descendente de índio, mas tem que ser brasileiro, pô! Acabar com esse negócio de povos e privilégios”, disse Abraham Weintraub.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *