Notícias e Informações
Publicidade
Publicidade

Triste Adeus: Comunidade de Nova Iguaçu Lamenta o Sepultamento da Menina de 4 Anos… Ver mais…

Segundo a polícia, primo confessou ter 'violentado' a criança e mãe da menina será investigada por abandono de incapaz por ter deixado os filhos sozinhos.

Na tarde desta segunda-feira (11), ocorreu o sepultamento do corpo de Kemilly Hadassa da Silva, uma menina de 4 anos, que foi realizado no Cemitério Municipal de Nova Iguaçu, situado na Baixada Fluminense.

A cerimônia breve de despedida da menina, que começou às 17h, contou com a presença de familiares e amigos.

O primo de 22 anos da menina, infelizmente, cometeu o assassinato após violentá-la.

A prefeitura de Nova Iguaçu custeou o sepultamento da menina e, além disso, enviou um ônibus para fazer o transporte dos familiares até o local. Esse gesto demonstra o apoio da administração municipal no momento de luto da família, proporcionando um pouco de conforto em meio à tristeza da perda.

Os peritos da Polícia Civil identificaram que a criança sofreu violência e foi estrangulada. Em seguida, o primo da vítima admitiu ser o autor do crime, conforme informado pela polícia. Consequentemente, ele foi detido temporariamente por um período de 30 dias.

De acordo com as informações fornecidas pela polícia, Reynaldo Nascimento, de 22 anos, relatou que após capturar a menina, levou-a para uma casa abandonada, situada perto da residência da vítima, onde a violentou e ‘estrangulou’. Segundo o relato do suspeito, ao perceber que a menina começou a chorar, ele decidiu cometer o homicídio.

A criança apresentava sinais de marcas de faca no pescoço. Diante disso, Reynaldo explicou aos investigadores que “ficou com pena” e, por essa razão, optou por esganar a menina em vez de degolá-la.

Identificação da menina Kemilly, Confirmada Após Perícia

Após a realização da perícia no corpo, confirmou-se a identificação pelo tio. Além disso, o delegado Mauro César informou que as partes genitais da menina estavam seriamente lesionadas.

A família de Kemilly chegou ao Instituto Médico-Legal (IML) de Nova Iguaçu pouco antes das 13h, com o objetivo de tratar da liberação do corpo. Logo após, Reynaldo compareceu ao local para realizar o exame de corpo de delito.

As autoridades indiciarão Reynaldo por homicídio qualificado e estupro de vulnerável como resultado das ações dele.

Os investigadores estão em busca de informações sobre a possível participação de outras pessoas no crime. Contudo, a polícia descartou a envolvência da mãe do suspeito no incidente.

“Embora a investigação esteja aberta para identificar outros envolvidos, não se encontraram evidências da participação da mãe”, declarou o responsável pela DHBF.

Enquanto isso, Suelen Silva, mãe de Kemilly Hadassa Silva, enfrenta uma investigação por abandono de incapaz. A situação ocorreu porque os pais deixaram a menina sozinha em casa com seus irmãos menores, o que suscita preocupações acerca da responsabilidade e do cuidado parental.

As autoridades transferiram Reynaldo para o presídio de Benfica, localizado na Zona Norte, que serve como porta de entrada para o sistema penitenciário.

População indignada

O delegado titular da DHBF destacou que, embora compreenda a indignação da população com o crime, a tentativa de linchamento de Reynaldo por parte de algumas pessoas prejudicou a atuação policial.

Ele informou que a multidão danificou o vidro da viatura e furou um dos pneus, dificultando o acesso dos agentes ao autor do crime.

Leia mais: Corpo de MENINA de 4 anos que havia desaparecido em nova Iguaçu, foi encontrado em um saco de ração e primo confessa ter ‘violentado’ e matado… Ver mais…

Comentários estão fechados.