Notícias e Informações
Publicidade
Publicidade

Vin Diesel enfrenta acusações de agressão SEXUAL em ação judicial de EX-ASSISTENTE… Ver mais…

Durante as gravações de ‘Velozes e Furiosos 5: Operação Rio’ nos EUA em setembro de 2010, ocorreu o suposto crime.

Nesta quinta-feira (21), uma ex-assistente de Vin Diesel apresentou uma ação judicial em Los Angeles. Ela acusa o ator de agressão sexual, que supostamente ocorreu em setembro de 2010. O incidente teria acontecido durante as gravações de “Velozes e Furiosos 5: Operação Rio”.

Segundo o site da revista “Vanity Fair”, que conseguiu acesso aos documentos do processo, os representantes do ator optaram por não comentar o caso.

Acordo de Confidencialidade e Silêncio em acordo de trabalho com Vin Diesel

Conforme descrito na ação, a assistente assinou um acordo de confidencialidade antes de iniciar seu trabalho comVin Diesel , o que a levou a permanecer em silêncio sobre o suposto crime.

No entanto, o processo revela que ela se sentiu encorajada pelos movimentos #MeToo e Time’s Up. Esses movimentos a inspiraram a buscar justiça pelo sofrimento que alega ter suportado nas mãos de Vin Diesel.

Em uma ação judicial iniciada em Los Angeles, Asta Jonasson alega que foi contratada pela empresa de Diesel. Sua função era trabalhar para o ator em locações na cidade americana de Atlanta, onde a produção do filme estava em andamento.

Recém-formada na faculdade de cinema, Jonasson tinha como responsabilidade organizar eventos e acompanhar Diesel em festas. De acordo com o processo, em uma noite específica de setembro de 2010, ela se encontrava em uma suíte de hotel.

A Agressão

Foi nesse momento que o ator supostamente “agarrou seus pulsos com cada uma das mãos e a puxou para a cama”. Conforme o relato, ela pediu que ele parasse. Conseguindo escapar de suas mãos, ela imediatamente deixou o local.

Ele se aproximou novamente e começou a apalpar e beijar, apesar de seus apelos para parar. Asta disse que teve medo de recusar, porque ele era o chefe dela, e garante que ele continuou a agressão sexual. Foi neste momento que ela começou a gritar e tentou fugir em direção ao banheiro. Segundo o processo, o ator a parou no meio do caminho e a imobilizou contra a parede.

Horas depois, ainda de acordo com a ação, Samantha Vincent – irmã de Diesel e presidente da One Race, empresa que contratou Asta – ligou para Jonasson para rescindir o contrato.

Ela continuou a trabalhar na indústria do entretenimento como assistente e coordenadora de produção, entre outras funções.

Leia mais: Zilu e irmão de Zezé Di Camargo trocam acusações e passado vem à tona… Ver mais…

Comentários estão fechados.