Notícias e Informações
Publicidade
Publicidade

Jogador que teve relação com jovem que morreu muda versão do que aconteceu entre os dois no quarto. Ver mais

Estudante tinha 19 anos e faleceu após rompimento no saco de Douglas.

O jogador de futebol Dimas Cândido de Oliveira Filho, de 18 anos, mudou a versão de seu depoimento sobre o dia da morte de Lívia Gabriele da Silva Matos, de 19 anos. A jovem faleceu pouco depois de manter relação íntima com o atleta do sub-20 do Corinthians.

Jogador Dimas Cândido: Depoimentos Diferentes

Portanto, Alfredo Porcer, que está representando a família de Lívia, relatou que Dimas deu dois depoimentos diferentes ao conversar com a polícia. No primeiro, o jogador falou que ele e a jovem tiveram a primeira relação, descansaram e foram para a segunda, momento em que a estudante de enfermagem teria passado mal. Já no segundo depoimento, Dimas contou que ele e Lívia só fizeram sexo uma vez.

Para o advogado da família da jovem, isso é caracterizado como uma inconsistência das declarações do jogador de futebol. “Ele disse que teve uma primeira relação, descansou e conversou […]. Aí, ele foi ter uma segunda relação quando notou que a jovem estava desmaiada. No depoimento de ontem, ele disse que foi somente uma vez que ele percebeu que ela não estava em condições de continuar o ato”, explicou Alfredo.

Causa da Morte

Todavia, Lívia Gabriele da Silva Matos, de 19 anos, faleceu após um encontro com o jogador sub-20 do Corinthians, Dimas Cândido de Oliveira Filho. O atestado de óbito aponta que a causa da morte foi uma “ruptura de fundo de saco de Douglas com extensão à parede vaginal esquerda”.

Portanto, O Saco de Douglas é uma região anatômica que reveste o fundo da vagina da mulher, localizado entre o útero e o reto. A ruptura dessa região pode ser causada por diversos fatores, como um trauma abdominal causado por acidente automobilístico ou queda, e em relações sexuais sem consentimento, como estupros, ou consensuais nos casos em que o ato for praticado com muita intensidade ou com a introdução de objetos no canal vaginal.

Contudo, por ser uma região bastante vascularizada, a ruptura do fundo do saco de Douglas gera um sangramento intenso e dor. Em caso de rompimento, o recomendado é ir urgentemente à emergência para avaliação do local e sutura da área em centro cirúrgico.

No caso da morte da jovem Lívia Gabriele, ainda não é possível determinar o que teria causado a ruptura da região genital, pois a Polícia Civil de São Paulo ainda aguarda os resultados de laudos periciais.

A investigação sobre a morte de Lívia Gabriele da Silva Matos está em andamento.

Contudo, a Polícia Civil de São Paulo está aguardando os resultados dos laudos periciais para determinar a causa exata da ruptura no saco de Douglas. Esses laudos são essenciais para entender o que aconteceu e podem fornecer informações detalhadas sobre a causa da lesão.

Dessa forma, os laudos periciais podem incluir exames toxicológicos, exames histológicos (análise de tecidos), entre outros. Eles podem ajudar a esclarecer se houve algum tipo de violência, se a jovem tinha alguma condição médica pré-existente que poderia ter contribuído para a lesão, ou se houve algum outro fator envolvido.

É importante ressaltar que a interpretação desses laudos deve ser feita por profissionais qualificados e que qualquer conclusão precipitada pode ser prejudicial para a investigação. Portanto, é crucial aguardar o resultado oficial das autoridades competentes.

Lembrando que a ruptura do saco de Douglas é uma condição médica grave que requer atenção imediata. Qualquer pessoa que suspeite que possa estar sofrendo dessa condição deve procurar atendimento médico imediatamente.

Mantenha-se atualizado sobre os principais eventos no Brasil e no mundo, continuando a acompanhar nosso site.

Leia mais: Jovem de 16 anos morre dois dias depois de ser diagnosticada com dengue. “Ela lutou muito para viver… Ver mais

Comentários estão fechados.