Notícias e Informações
Publicidade
Publicidade

Mulher é presa suspeita de m4tar marido com p4ulada na cabeça. “Ela já havia tentado tirar a vida do marido em duas… Ver mais

Marciel Rodrigues de Sousa estava vivo quando foi levado, ficou três dias internado e faleceu na terça-feira (30).

Marciel Rodrigues de Sousa, um homem, encontrou seu fim trágico na terça-feira (30) no Hospital Regional de Ribeiro Gonçalves. Ele foi brutalmente agredido com pauladas na cabeça em sua própria casa três dias antes, o que levou à sua morte. Sua mulher é presa em flagrante, suspeita do crime.

A mulher de Marciel o levou ao hospital e alegou acidente de moto

De acordo com a Polícia Militar, foi a esposa de Marciel quem o levou ao hospital no sábado (27), apresentando lesões na cabeça. Curiosamente, ela alegou no hospital que as feridas eram resultado de um acidente de motocicleta. No entanto, três dias após o suposto acidente, na terça-feira (30), Marciel sucumbiu aos seus ferimentos.

Após o trágico falecimento, uma multidão de moradores se reuniu em frente à unidade hospitalar, acusando a esposa de Marciel de ser a responsável pelo assassinato. Em resposta a essas graves acusações, os policiais militares tomaram a decisão de prendê-la. Posteriormente, conduziram-na à delegacia de Baixa Grande do Ribeiro para as devidas providências legais.

Uma adolescente, que não teve sua identidade revelada, presenciou a violenta discussão entre o casal e o momento exato em que a esposa golpeou Marciel na cabeça com um pedaço de madeira. Suspeita-se que ciúmes tenham causado a briga.

A agressão ocorreu na residência compartilhada por Marciel e a suspeita. Posteriormente, os policiais descobriram o pedaço de madeira supostamente usado no ataque. No entanto, tanto a casa quanto o objeto foram limpos após o crime. Além disso, a motocicleta de Marciel não apresentava sinais de ter estado envolvida em um acidente, contrariando a alegação inicial da esposa.

Homicídio e fraude processual

Apesar das circunstâncias, os peritos foram capazes de identificar manchas de sangue na cama, nas paredes da casa e também na arma. Se a Polícia Civil confirmar as suspeitas, ela poderá responsabilizar a mulher pelos crimes de homicídio e fraude processual, por tentar limpar a cena do crime.

O crime de homicídio envolve a ação de tirar a vida de outra pessoa. Já a fraude processual é um delito que não se confunde com o outro crime que esteja em apuração (neste caso, o de homicídio qualificado). O bem jurídico protegido nesse tipo penal é a administração da Justiça.

A fraude processual resguarda a atuação dos agentes judiciários contra fatores estranhos, capazes de comprometer a lisura da prova ou a correção do pronunciamento judicial futuro, estorvando ou iludindo o seu trâmite. Portanto, se uma pessoa cometer um homicídio e depois alterar a cena do crime para enganar as autoridades, as autoridades podem acusá-la de ambos os crimes.

Conforme relatado por testemunhas à Polícia Civil, a mulher já havia tentado tirar a vida do marido em duas ocasiões anteriores: inicialmente há aproximadamente 2 anos atrás, quando o feriu com uma facada no braço, e mais recentemente, no final de 2023, quando o agrediu com golpes de martelo na cabeça.

Mantenha-se atualizado sobre os principais eventos no Brasil e no mundo, continuando a acompanhar nosso site.

Leia mais: Edu Guedes processa ex-marido de Ana Hickmann por difamação. “Alexandre disse que foi ‘c0rno’. Ver mais

Comentários estão fechados.