Caso Henry: Jairinho teria torturado a criança pelo menos uma vez; mãe foi a salão de beleza após enterro do filho

Caso Henry: Dr Jairinho teria torturado a criança pelo menos uma vez; mãe foi a salão de beleza após enterro do filho. Exatamente hoje, 8 de Abril, faz um mês que Henry, foi encontrado sem vida, supostamente por uma queda da cama onde mãe Monique Medeiros e o padrasto Dr Jairinho, dormiam. E então, nesta quinta-feira, 8, a Polícia Civil resolveu pré-concluir a investigação e decretar ‘preventivamente’ a prisão da Mãe e padrasto do menino, morto infelizmente de forma macabra, segundo aponta a perícia. 

O casal foi preso em uma residência da tia do parlamentar, no Rio de Janeiro, ambos estavam juntos na mesma casa. De acordo com a investigação, a prisão foi decretada após a investigação apontar que os suspeitos estavam atrapalhando os testemunhos e a conclusão do caso com ameaças às testemunhas do caso Henry Borel. 

Antes de tudo, o menino deu entrada no Hospital Particular do Bairro da Tijuca, no Rio, como morte “acidental”. De acordo com  Monique, mãe de Henry, ele estaria desacordado, sem respirar e com o corpo gelado quando foi encontrado ao lado da cama, após algumas horas depois de chegar da casa do pai, Leniel Borel, onde esteve todo o fim de semana. 

Logo, ao chegar ao hospital, foi confirmado o óbito e o Laudo aponta pelas escoriações e causa da morte, que Henry não poderia vir a falecer apenas por acidente doméstico, ou seja, uma queda da cama como a mãe relata. Visto que, a autópsia aponta violência na região do crânio, estômago, fígado e rins, além de manchas visivelmente espalhadas pelo corpo. 

Caso Henry: Dr Jairinho teria torturado a criança pelo menos uma vez

Além de ameaças às testemunhas, a investigação concluiu que O vereador Dr Jairinho chegou a praticar sessões de tortura contra Henry, onde chegava a traca- ló no quarto para bater no menino. A mãe, Monique, sabia de tudo. 

A 16ª Delegacia de Polícia da Barra da Tijuca, afirma que Henry não teve morte acidental, o menino teve a vida tirada prematuramente e foi brutalmente espancado pelo vereador Dr Jairinho, que o agredia com chutes e golpes na cabeça e tudo com o consentimento da mãe. 

Mãe vai a salão um dia após o enterro

Ainda de acordo com a polícia, um dia após o enterro de seu filho, Monique teria ido a um salão de beleza em um shopping da Barra da Tijuca e gastando uma quantia de R $240 em serviços de beleza, entre eles cabelo, unhas do pé e da mão.

A polícia civil ainda confirma que ambos apagaram mensagens trocadas dos celulares após a morte do menino e antes de tudo, trocaram os eletrônicos. 

LEIA MAIS:

Copy

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *